NOTA DE REPÚDIO

Associação das vítimas de Brumadinho grita ‘amanhã pode ser tarde’

Na semana que mais uma vítima foi encontrada sobre a lama do rompimento da barragem da Vale, que matou 272 pessoas, a AVABRUM – Associação dos Familiares de Vítimas e Atingidos da Tragédia do Rompimento da Barragem Mina Córrego Feijão, em Brumadinho (MG) – foi surpreendida com a terrível notícia da aprovação, pelo Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam), da licença ambiental para exploração de minério de ferro pela empresa Taquaril Mineração S.A. (Tamisa) na Serra do Curral, no município Nova Lima.

É inacreditável que o Estado de Minas Gerais, onde aconteceu o maior crime trabalhista da América Latina, em decorrência do rompimento da barragem Mina Córrego do Feijão, da mineradora Vale, causando a morte de 272 pessoas, na qual 05 Joias seguem ainda não encontradas, fosse capaz de tamanha afronta à sociedade.

Ainda com as feridas abertas das tragédias de Brumadinho e Mariana, o povo mineiro é surpreendido com a licença ambiental emitida pelo governo de Minas Gerais, autorizando a instalação de um mega projeto de mineração de ferro na Serra do Curral.

Isso só reforça a forma como são tratados os mineiros. Sem nenhuma  consideração e respeito à vida humana.

Mais uma vez o lucro sobrepõe a vida.

De maneira obscura e sorrateira fomos traídos na nossa casa. Tiraram dos mineiros o direito à vida e a liberdade de morar no seu território de origem.

A AVABRUM abraça o movimento tiraopedanossaserra.bando.org e o Manifesto divulgado nesta sexta-feira.

ATÉ QUANDO SEREMOS EXPULSOS DO NOSSO ESTADO, DA NOSSA CIDADE, DA NOSSA TERRA, PARA DAR LUGAR A UMA MÁQUINA DE MATAR?

Seguimos com Eles e por Eles! 272 Joias presentes.