AVABRUM realiza ato clamando por justiça e homenageia mães de vítimas do Rompimento da Barragem Mina do Córrego do Feijão

AVABRUM homenageia mães de vítimas em ato e em coroação na Igreja

A Associação dos Familiares de Vítimas e Atingidos pelo Rompimento da Barragem Mina do Córrego do Feijão (AVABRUM), realizou, na quarta-feira dia 25 de maio, mais um ato clamando por justiça e em homenagem às trágicas mortes, ocorridas em 25 de janeiro de 2019, quando a barragem na cidade entrou em colapso.

O ato, que começou por volta de meio dia na entrada de Brumadinho, contou com as participações de um músico local, Javer Ribeiro de Sales, da missionária Andrea de Paula e do diácono Gilberto Silveira. Sales cantou uma música que compôs para alguns amigos que perdeu na tragédia. A missionária levou uma palavra de fé para as pessoas presentes e o diácono rezou com os familiares.

Após o ato, houve um minuto de silêncio em homenagem às vítimas. Também foram soltos 272 balões em homenagem aos mortos no mar de lama provocado pela ruptura da Barragem. Logo após os balões voarem, foram lidos os nomes de todas as vítimas.

Maio é o mês das mães e o ato, que é realizada todo dia 25, não poderia deixar de ter as homenagens as que perderam seus filhos na tragédia. Foram entregues rosas e gotas de esperança em forma de bordado, feito pelo grupo de artesãos de Brasília – DF representado por Ronilda Teixeira.

Ao final da manifestação, foram lidas algumas cartas de mães das vítimas, o que despertou muita emoção em alguns presentes. Os participantes clamaram por justiça e cobraram maior agilidade do poder público no julgamento dos réus do processo judicial que pede a responsabilização dos responsáveis pelo rompimento da Barragem da Mina Córrego do Feijão.

Coroação feita por algumas mães completou o dia de homenagens

À noite, foi realizada uma missa na Matriz de São Sebastião, uma cerimônia que transcorreu sob forte emoção. Houve coroação e algumas mães participaram da celebração. O ato religioso foi presidida pelo bispo auxiliar dom Vicente de Paula Ferreira, da Região Episcopal Nossa Senhora do Rosário (RENSER), da Arquidiocese de Belo Horizonte. Alguns parentes das vítimas da maior tragédia trabalhista do País participaram da missa e colocaram, no altar da igreja, dois banners com imagens das pessoas que morreram.

Parentes de vítimas entrando para participarem da coroação em homenagem às vítimas do rompimento da Barragem B1 da Mina do Córrego do Feijão.