Encontrada mais uma Joia, vítima da tragédia-crime de Brumadinho

AVABRUM se solidariza com a família de Olímpio Pinto, de 56 anos, e reforça: a paz só virá quando todas as famílias puderem enterrar seus entes queridos. Faltam ainda 4 Joias.

Após 1.230 dias de espera, o Instituto Médico Legal (IML) de Minas Gerais identificou nesta terça-feira, 7 de junho, mais uma Joia, vítima do rompimento da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho.

Olímpio Gomes Pinto, de 56 anos, era auxiliar de sondagem e trabalhava para uma empresa terceirizada que prestava serviços à mineradora Vale. Natural de Caeté, Minas Gerais, ele morava em Brumadinho e era conhecido carinhosamente como Licão.

A Associação dos Familiares de Vítimas e Atingidos pelo Rompimento da Barragem Mina Córrego do Feijão (AVABRUM) se solidariza com todos os familiares de Olímpio, que agora podem ter algum alívio na sua dor.

A tragédia-crime na barragem da Vale deixou 272 vítimas fatais e milhares de familiares em luto. O encontro e identificação de Olímpio nesta terça-feira reforça a nossa esperança de que todas as nossas Joias serão encontradas em breve.

Para nós, familiares das vítimas, só será possível paz e alento após os corpos de Cristiane Antunes Campos, Maria de Lurdes da Costa Bueno, Nathalia de Oliveira Porto Araújo e Tadeu Mendes da Silva serem localizados e identificados. Reforçamos ainda a importância de as famílias serem as primeiras a receber a informação sobre o encontro.

Também continuamos a nossa luta por justiça, para que os responsáveis por este crime sejam julgados o mais breve possível e pela Justiça de Minas Gerais, como determinou ontem o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal. Queremos o júri popular em Brumadinho. No despacho, o ministro Fachin afirma que “os réus efetuaram uma série de condutas complexas e intrincadas, no sentido de escamotear o fator de segurança da barragem (…) o que desaguou no fatídico desastre”.

Cada enterro uma lembrança,

Cada lembrança uma memória,

Cada memória uma dor!

Juntos somos mais fortes. Nossas Joias seguem vivas em nós e em nossas ações.