Novo selo identifica obras e projetos custeados por acordo de reparação

Criado pelo Governo de Minas Gerais e instituições de justiça, Selo Reparação Brumadinho foi um pedido da AVABRUM. O objetivo é identificar onde os recursos do acordo judicial estão sendo gastos

O Governo do Estado de Minas Gerais, o Ministério Público de Minas Gerais, o Ministério Público Federal e a Defensoria Pública de Minas Gerais lançaram, no início de junho, um selo para identificar obras e projetos de reparação socioeconômica e socioambiental aos danos causados pela tragédia de Brumadinho e custeados dentro Acordo Judicial assinado com a Mineradora Vale.

A criação do selo Reparação Brumadinho atende a um pedido da Associação dos Familiares de Vítimas e Atingidos pelo Rompimento da Barragem Mina Córrego do Feijão (AVABRUM).

O rompimento da Barragem B1 da Mina do Córrego do Feijão aconteceu em 25 de janeiro de 2019. Considerado a maior tragédia trabalhista do país, ele ceifou a vida de 272 pessoas, a maior parte trabalhadores da mineradora e terceirizados, e causou diversos danos no meio ambiente, sociais e econômicos na região. Turistas e pessoas da comunidade também estão entre as 272 vítimas.

O selo Reparação Brumadinho tem como principal finalidade mostrar quais obras e projetos desenvolvidos são fruto do acordo de reparação. Além da AVABRUM, a população atingida de Brumadinho e os outros 25 municípios da bacia do Rio Paraopeba apoiaram a identificação.

Além do selo Reparação Brumadinho, foi desenvolvido um texto explicativo sobre a origem dos recursos. O material já está sendo utilizado nas entregas e nos anexos de reparação socioeconômica em forma de adesivo e de banner.

Veja abaixo o formato básico de aplicação utilizado no adesivo e no banner.