AVABRUM realiza mais um ato clamando por justiça, encontro e memória

Dia 25 é sinônimo de ir para entrada da cidade de Brumadinho e homenagear aqueles que se foram de forma tão trágica em 25 de janeiro de 2019

Completando 3 anos e 5 meses do rompimento da Barragem B1 da Mina do Córrego do Feijão no dia 25 de junho de 2022, a Associação dos Familiares de Vítimas e Atingidos pelo Rompimento da Barragem Mina Córrego do Feijão (AVABRUM) realizou, no letreiro de Brumadinho, mais um Ato cobrando justiça, encontro de todas as vítimas da tragédia e pela memória dos que se foram de forma tão cruel, no maior acidente de trabalho do país.

O ato começou com a participação de Elcio Luiz Silva, cantando uma música para homenagear as vítimas. Na sequência veio uma palavra de fé e acalento ministrada pelo pastor José Ricardo Santana (Igreja Batista Nacional Ebenézer). Ele relembrou que a sua igreja perdeu nove membros e realizou muitos enterros na cidade, e que foi um momento bem difícil na sua vida e na cidade.

Edi Tavares, da diretoria da AVABRUM, reforçou, em seu discurso, a importância do encontro de todas as vítimas. “O nosso coração pede o que ainda nos falta: o cumprimento de justiça, pois ainda faltam quatro pessoas a serem encontradas. Nós lutamos por eles”, afirmou.

A vice-presidente da associação, Andresa Rodrigues, falou sobre a exposição “Over (The Mine)”, que estava aconteceu em Munique, na Alemanha, no mesmo dia do Ato. “Hoje, há cinco horas atrás na cidade de Munique, às 12:28, no horário local, artistas mineiros, uma delas aqui de Brumadinho, inauguraram uma exposição de arte que denunciava os abusos das mineradoras”, disse. Na sequência, Andresa leu a carta que a AVBRUM escreveu para as artistas apresentarem em Munique, na abertura da exposição.

Logo após a leitura da carta, houve um minuto de silêncio em memória das vítimas e, depois, os nomes das 272 vítimas foram anunciados. Por fim, os 272 balões na cor verde foram soltados no ar.

O Ato de junho teve ainda algumas referências a questão ambiental, e em defesa do meio ambiente, numa alusão ao Dia Mundial do Meio Ambiente, que é comemorado no dia 5 de junho. O rompimento da Barragem B1 causou vários estragos ao meio ambiente na cidade de Brumadinho e região, com muita área verde devastada. O rio Paraopeba também sofreu com a lama que o atingiu e o assoreou.